Miojo faz mais mal a saúde do que maconha

Já sabemos que a maconha possui propriedades que são utilizadas medicamente. Ao mesmo tempo, também já sabemos que a ingestão de grandes quantidades de sódio é extremamente prejudicial à saúde.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que a ingestão diária ideal de sódio em adultos é de 2 gramas, ou menos 5 gramas de sal. Isso é o equivalente a uma colher rasa de chá de sal.

Os perigos do miojo

Níveis elevados de sódio na nossa dieta pode levar à pressão alta, doenças cardíacas e até mesmo derrames. Essas últimas, segundo a OMS, são as duas principais causas de mortes no mundo.

Sendo assim, ao verificar a quantidade de sódio que possuí um saquinho de tempero de miojo nos surpreendemos. Apenas um pacotinho tem mais da metade da quantidade recomendada diária de sódio. Em apenas uma única refeição encontramos mais de 60% da quantidade de um dia todo, cerca de 1500mg de sódio.

Além do sódio – componente mais famoso quando o assunto é macarrão instantâneo – há também outros ingredientes preocupantes, tais como TBHQ, Propilenoglicol, MSG, um óleo vegetal que é não especificado, e também xarope de milho. Estudos comprovaram que o xarope de milho tem altas quantidades de gordura saturada. O MSG pode causar dores de cabeça, náuseas, sudorese, palpitação cardíaca e rubores no rosto. Além disso, o TBHQ é um conservante capaz de causar delírios, zumbidos no ouvido e também náuseas.

Com intuito de comprovar todos esses malefícios já citados, uma pesquisa divulgada no The Journal of Nutrition monitorou a alimentação de mais de 10 mil pessoas por algumas semanas. Essas pessoas se alimentaram com quantidades excessivas de miojo. Assim, o resultado foi: pressão arterial elevada, excesso de gordura abdominal, diabetes e colesterol alto.

E a maconha?

Um estudo feito por Wayne Hall, pesquisador da Universidade de Queensland, contrastou os efeitos do miojo e da maconha no organismo. A conclusão chegada pelo pesquisador foi que o macarrão instantâneo causaria um “retardo mental” acima do que causaria a maconha.

Para que não houvesse qualquer dúvida futura, um estudo de 3 meses reuniu por volta de 100 pessoas. Metade consumiria miojo e a outra metade maconha. O resultado: quem se alimentava de miojo teve uma queda de 12% da produtividade e os consumidores de maconha tiveram uma queda de apenas 2%.  

A questão mais difícil de entender é que um produto é vendido em larga escala nos mercados. Enquanto o outro é estritamente proibido em diversos países.

    

Compartilhe no Facebook

Curta no Facebook:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *